segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Simbiota e empresa canadense fazem parceria técnica em 2012

A Simbiota Consultoria Ambiental é parceira da empresa canadense Biotactic Fish and wildlife research.

Em novembro de 2012 técnicos da Biotactic estiveram no Brasil acompanhando nosso trabalho, trocando conhecimentos e tecnologias. Foram realizados implantes de rádios em peixes, avaliação de mecanismos de transposição, construção de antenas PIT, download de dados das estações fixas e muito mais.

Conheça mais desse trabalho e parceria aqui.




video

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Transposição e biotelemetria de peixes no rio Ijuí, RS

Saiu uma matéria no Jornal do Almoço de Ijuí essa semana.
Mostrou um pouco do trabalho que fazemos lá desde 2009.

Há alguns erros nessa matéria, importantes de serem corrigidos. O trabalho é realizados em dois empreendimentos, a UHE Passo São João, da Eletrosul, situada em Roque Gonzalez e a UHE São José, da Ijuí Energia.

Quanto ao trabalho em si, a reportagem mistura duas coisas, a transposição e a telemetria.
Na transposição os peixes das espécies alvo (dourados, piavas, grumatãs, vogas e pintados) são capturados manualmente, pesados, marcados e soltos em locais pré-selecionados. Até o momento mais de 4 mil peixes foram marcados. Esse número vai crescer muito mais, visto que as atividades se encerram somente em março de 2013. As marcas utilizadas são as tag plásticas amarelas mostradas no vídeo (não são antenas).

A outra técnica é o monitoramento por biotelemetria, onde peixes são capturados para colocação de rádios transmissores. Esse ano 110 peixes das espécies-alvo foram marcados e estão sendo monitorados através das bases fixas. Outros 30 ainda serão marcados até o final do ano. Esses peixes, sim, têm antenas, além da marca plástica.

No mais, a matéria mostra nossa área de trabalho e alguns técnicos envolvidos.

Veja o vídeo: http://g1.globo.com/rs/rio-grande-do-sul/jornal-do-almoco/videos/t/santa-rosa/v/pesquisas-estudam-o-comportamento-de-peixes/2276336/




segunda-feira, 17 de setembro de 2012

SIMBIOTA participa do 1° Workshop de Reavaliação da Lista da Fauna Ameaçada de Extinção do RS

Biólogos da SIMBIOTA Consultoria Ambiental participaram do 1° Workshop de Reavaliação da Lista da Fauna Ameaçada de Extinção do RS, como pesquisadores convidados.

A Secretaria do Meio Ambiente (Sema), por meio da Fundação Zoobotânica do Rio Grande do Sul (FZB), promoveu, de 12 a 14 de setembro, no Auditório do Centro de Eventos do Instituto de Informática da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), o primeiro de dois workshops que farão parte do processo de reavaliação da lista de espécies da fauna ameaçada de extinção no RS. Nesse processo, foi utilizado pela primeira vez um sistema web versátil e ágil para registro, acompanhamento e pesquisa a respeito da fauna silvestre ameaçada de extinção no Estado.


O inovador banco de dados, feito em plataforma virtual (via web), foi desenvolvido pela FZB e pela Companhia de Processamento de Dados do Estado (Procergs), por meio de recursos da Sema, com o objetivo de promover a reavaliação da lista de espécies que correm risco de desaparecer no RS - cuja única versão existente foi elaborada em 2002 (na qual 261 espécies foram classificadas como ameaçadas de extinção), a partir do decreto nº 41.672. "Dessa forma,além de inovar, estamos efetivando uma medida prevista no Código Estadual do Meio Ambiente que deveria ter sido feita há muitos anos", ressalta a diretora do Museu de Ciências Naturais da FZB, Simone Mirapalhete.

O sistema (LIVE) permitirá agilidade na documentação, pesquisa e troca de conhecimento. Isso representa um importante instrumento para preservação da fauna e a constante reavaliação da lista. "Os diferenciais em comparação com bancos de dados comuns são as funcionalidades de aplicação assistida dos critérios de avaliação da União Mundial para a Natureza (IUCN), a possibilidade de se documentar, compartilhar, gerenciar e sistematizar as opiniões de diferentes pesquisadores durante o processo de elaboração e revisão da lista, e a interface com recursos de geoprocessamento, tudo isso via web", diz o biólogo Glayson Bencke, coordenador da comissão técnica do processo.


Essa comissão é formada por pesquisadores do Museu de Ciências Naturais/FZB, PUCRS e UFRGS e trabalha desde julho de 2011 na revisão da lista de espécies ameaçadas. Na etapa atual, será agregado o conhecimento de pesquisadores envolvidos nos diferentes grupos biológicos, a partir da realização de dois workshops. O primeiro deles, a ser realizado na semana que vem, contará com a presença de mais de 140 pesquisadores de diferentes instituições de pesquisa e ensino do Rio Grande do Sul e de outros Estados.

Nesse encontro será apresentado o sistema, realizado o treinamento e divisão dos grupos para melhor aplicação de metodologias de reavaliação das espécies. Em seguida, haverá um prazo de 90 dias para a aplicação dos formulários entre pesquisadores, avaliadores e colaboradores. Em dezembro, será feito o segundo workshop para a conclusão dos trabalhos e validação da lista, incluindo a disponibilização para consulta pública. A nova lista de espécies da fauna silvestre ameaçada de extinção será entregue oficialmente no começo de 2013.


Fonte: http://zoobotanica.blogspot.com.br/2012/09/rs-revisa-lista-da-fauna-ameacada-e.html#!/2012/09/rs-revisa-lista-da-fauna-ameacada-e.html



quinta-feira, 22 de março de 2012

Estudo de peixes migradores da Bacia do rio Ijuí - Marcação piracema 2011/2012

Todas as imagens fazem parte do projeto SIMBIOTA: PEIXES MIGRADORES DA BACIA DO RIO IJUÍ.

Cem peixes foram marcados durante a piracema de 2011/2012 e outros 100 já haviam sido marcados com rádio transmissores na piracema de 2009/2010. Outros 40 serão marcados  na próxima piracema. Esses animais são monitorados através de uma rede de bases fixas de receptores instaladas ao longo da bacia. Atualmente são sete unidades e pretende-se ampliar ainda mais essa rede.

Além dos animais monitorados, peixes migradores estão sendo capturados marcados com tags plásticas identificadas com o nome do projeto e telefone para contato e novamente soltos no rio. Mais de mil peixes já possuem essa identificação.

O objetivo desse trabalho é entender o quanto esses peixes se deslocam, quais as suas rotas e entender melhor o seu comportamento para propor estratégias de manejo e conservação para as espécies e para quem vive da pesca.

Rádio implantado nos peixes. Todos possuem etiqueta com informações de contato.
O CODE é o número único para cada animal que deve ser anotado.
O transmissor devolvido pode ser reimplantado em outro peixe.


Se você pescar um peixe com uma marca ou um rádio, ou souber de alguém que pescou, ajude nosso projeto entrando em contato conosco por telefone (901451 97115069) ou pelo site www.simbiota.com.br, onde há um formulário simples para ser preenchido.

Se o peixe estiver em boas condições e você puder soltá-lo, seria de grande ajuda, mas lembre-se, é importante que você anote o número da marca amarela e faça contato conosco, pois qualquer informação é muito importante.


Detalhe da tag utilizada na marcação dos peixes soltos com e sem rádio. Cada peixe possui um número diferente.


Todas as fotos a seguir são de autoria do fotógrafo Adriano Becker e foram tiradas durante expedição para marcação de peixes migradores que fazem parte do estudo Peixes Migradores ds bacia do rio Ijuí.





































Pequenas coisas fazem diferença

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

FARO SIMBIOTA - você já viu um BIOCÃO em ação?

Foi inaugurada ontem a nova página da FARO Simbiota.

Treinando BIOCÃES desde fevereiro de 2009 e atuando em campo com monitoramento de carcaças em Parques Eólicos no sul do Brasil desde outubro de 2010, a FARO SIMBIOTA é uma iniciativa inédita no Brasil e tem como objetivo treinar BIOCÃES cuidadosamente selecionados para auxiliar atividades técnicas e científicas, aumentando ou mesmo possibilitando o sucesso de estudos ecológicos e o manejo de espécies nativas, bem como serviços ambientais especializados.

Em parceria inédita, a SIMBIOTA e a CÃO SENTINELA, aliaram competência e experiência e treinam para programas de pesquisa e conservação cães da mais alta linhagem de trabalho.

Visite nossa página e conheça o trabalho desses extraordinários animais e seus condutores.

Muitas novidades em breve tambem no BLOG da FARO Simbiota.

Thor (Labrador) - Biocão farejador de carcaças e morcegos pioneiro da FARO Simbiota